CPRM aponta tendência à estabilidade em inundação em Manaus

Deputado Marcelo Ramos assegura que, apesar de estabilidade em inundação, continuará buscando ajuda nos ministérios em Brasília

Em alerta divulgado nesta segunda-feira (31), o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) aponta que a probabilidade é de que haja estabilidade na inundação em Manaus, a partir de agora.

Na manhã desta segunda-feira a medição no porto de Manaus indicou a marca de 29 metros e 97 centímetros, a mesma apresentada na cheia histórica de 2012.

Segundo a pesquisadora do CPRM, Luna Gripp Simões, a indicação é de finalização, por causa da diminuição de chuvas no estado.

Para o deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), apesar das previsões um pouco mais otimistas, ele vai continuar seu trabalho de contato com autoridades federais, em Brasília, com o objetivo de reduzir as consequências, que já são terríveis, à população amazonense.

Mesmo assim, o serviço geológico continua monitorando a movimentação do rio, pela possibilidade de repiquete, quando num movimento de vazante, o rio volta a subir. Em todo o estado do Amazonas, mais de 450 mil pessoas são afetadas pelas enchentes nas diferentes calhas.

Em Manaus, a prefeitura informou que há dois meses vem fazendo ações preventivas, como a construção de pontes em áreas alagadas e a criação do auxílio enchente, que começa a ser pago a famílias cadastradas a partir desta terça-feira.

As cheias dos rios no Amazonas afetaram ao menos 460 mil pessoas. A informação foi confirmada pelo secretário executivo da Defesa Civil do estado, Coronel Francisco Máximo, em entrevista à CNN Rádio nesta sexta-feira (28).

“Os números são dinâmicos e mudam todos os dias. Hoje, dos 62 municípios do Amazonas, 47 já decretaram situação de emergência”, completou.Inundação severa em Manaus já atinge quase 24 mil pessoas. Do portal do deputado Marcelo Ramos com informações da EBC

Acompanhe o trabalho doMarcelo Ramos

    Buscar

    Compartilhe os artigos

    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no whatsapp
    Compartilhar no telegram

    Confira algumas análises

    Dê um like no Facebook